O ex-presidente da França, Nicolas Sarkozy, foi detido na terça-feira sob suspeita de financiamento ilegal de sua campanha eleitoral de 2007. A principal acusação é de que parte do dinheiro teria vindo do governo de Muamar Kadafi, ex-ditador da Líbia. A investigação começou em 2013 e envolve 5 milhões de euros em espécie que teriam sido entregues aos organizadores da campanha.
Sarkozy está sendo mantido num local de controle da Polícia Judiciária em Nanterre para ser ouvido, e pode ser detido durante 48 horas. De acordo com a imprensa francesa, ele está sendo questionado sobre as suspeitas. Depois desse prazo, ele pode ser levado diante de juízes para ser eventualmente acusado.
Esta é a primeira vez que os investigadores interrogam Sarkozy. Em 2007, ele venceu a eleição, superando a socialista Ségolène Royal. Mas a suspeita também é de que o dinheiro poderia ter servido para o enriquecimento ilícito do ex-presidente e de aliados.
Há dois anos, o suposto intermediário Ziad Takieddine declarou que foi ele quem levou o dinheiro de Trípoli até Paris, entregando-o a Claude Guéant, então ministro do Interior do governo Sarkozy. Segundo ele, o dinheiro chegou até Sarkozy. O ex-presidente sempre negou qualquer envolvimento no caso. O que é um país sério. Um ex-presidente é detido e não vemos ou ouvimos ministros da justiça francesa fazendo reuniões escusas para discutir mudanças na lei que o favoreçam. Que prenda-se aqui o condenado Lula.