…o seu lugar é na prisão”, bradavam multidões na última terça-feira (3) em todo o Brasil. E assim será, em apenas poucos dias, com a recusa do STF ao habeas corpus do petista condenado.
Já demora a ser preso. E que não seja uma questão de direita ou esquerda a prevalecer. Extremismos não são saudáveis em qualquer situação. Mas que vença sim a verdade, a moral e a justiça! Que não fique impune o homem que, sobre si fez cair a responsabilidade por todo um povo, e não hesitou golpeá-lo pelas costas – sorrateira e disfarçadamente. Um golpe tão bem planejado que anos levou para ser descoberto. O maior roubo da história do Brasil se deu na era PT, como estamos vendo – marca que, aliás, não é tão fácil de alcançar. Não foi só PT, não foi só Lula – certamente. “PT não inventou a corrupção”, de fato! E essa foi a única verdade que saiu da boca do ex-presidente, mas isso não é argumento de defesa. Um crime não se torna legal para um porque outros também o praticam. Isentar um da punição só gera legalidade para que todos os outros se vejam no direito de serem igualmente poupados. Não! Que caia Lula, que caiam todos como ele!
Lula cavou sua própria cova. A tão profunda desaprovação que enfrenta hoje se dá não somente pelos crimes pelos quais foi condenado DUAS vezes, mas pelas expectativas que criou ele próprio sobre si e seu governo. Aquele discurso lindo, do homem pobre que chegou ao poder para trazer igualdade e ajudar o povo, fazer justiça, contra a corrupção, e blá blá blá. O discurso do “Pai do povo”, como chegou a ser chamado, era lindo de fato. Mas e daí? Foi uma decepção maior que qualquer outro político/partido “tradicional” que se apresentava, pois desses com discurso ensaiado ninguém esperava nada diferente. De Lula sim, e foi ele mesmo quem prometeu TUDO. Mas por fim, seguiu os mesmos passos sujos – dinheiro acima de caráter, corrupção acima dos valores que tão bem fingia cultivar. Agora, que deite-se na cama que a si mesmo preparou. É como dizem: Se cair, do chão não passa; mas quanto mais alto se está, maior é a queda, e o chão pode ser duro o bastante. Que seja então duro o suficiente para lembrá-lo pelo resto da vida qual é o preço a ser pago por enganar, iludir e saquear toda uma nação, e ter ainda o descaramento de vestir-se de inocente, injustiçado. Sirva ele de exemplo aos demais. Que assim seja! E que a justiça prevaleça finalmente nessa terra de fraude, desleal e imoral.