Lula foi preso. Antes disso tivemos uma missa (?) em homenagem ao aniversário de Dona Marisa, mulher de Lula que escapou da prisão porque morreu, missa essa que de religiosa nada tinha a não ser a presença de umas figuras deprimentes paramentadas como religiosos, comandadas por uma figura ridícula conhecida como Dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau, acompanhados por músicas de Chico Buarque, Gonzaguinha e outros menos conhecidos, com Manuela d’Ávila do PC do B, fazendo o sinal da cruz, a terrorista Dilma Roussef lendo um texto de São Francisco e afirmando que os petistas não são violentos. Tudo isso sob a assistência de Lula, reverentemente assistindo à eucaristia tomando pelo menos três garrafas de um líquido incolor, de natureza não determinada. Non sense total.
Após a palavra de vários “religiosos” surge uma pastora luterana que defende Lula e termina sua oratória demente com o braço erguido e o punho fechado. Lula diz que “eles querem Lula preso para não poder falar, mas Lula continuará falando pela boca de cada um” e que “vocês” podem continuar a fechar estradas, a queimar pneus, manter as invasões etc, em uma clara incitação à violência. Estivéssemos em um país normal, Lula já estaria respondendo por mais um processo. A missa negra termina com Lula fazendo um discurso onde, após ofender o Ministério Público, o juiz Sérgio Moro e etc, afirma solenemente que “nunca vão prender o Lula, porque Lula não é mais uma pessoa, é uma ideia”.
Dessa maneira, sob as bênçãos do bispo vermelho, Lula declara sua transcendência, criando assim uma nova vertente do cristianismo, o Cristopetismo. Não é pouca coisa. Em entrevista ao comunista Frei Beto, em um provável acesso de confusão mental chega a dizer: “Sabe, é uma mente doentia a do Moro. É uma obsessão em que a mentira não tem limite.”. O circo de horrores termina finalmente com a rendição de Lula e seu encaminhamento para a prisão em Curitiba.
Seus seguidores são um exemplo do mecanismo de que se utiliza a esquerda em todo o mundo para hipnotizar o cérebro desconexo de suas vítimas. É o que podemos chamar de monopólio da virtude, por meio do qual tentam convencer que só a esquerda defende os pobres, os oprimidos, as mulheres, as minorias, o fim da pobreza, a igualdade de direitos, a melhoria de vida dos trabalhadores, etc.
Esse mecanismo é o principal responsável pela disseminação das ideias esquerdistas entre os estudantes, sob a orientação de professores esquerdistas ( a maioria) e de uma imprensa também coalhada de esquerdistas em suas redações. Para citar um exemplo, a manifestação do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo após a agressão a vários jornalistas por meliantes petistas foi, para ser educado, canalha, com um texto repudiando a prisão do criminoso Lula que estaria sendo preso sem provas, etc. Falta de caráter e indecência são características desse tipo de sindicalistas.
É importante lembrar que o PT usa uma estratégia determinando uma separação entre “nós” e “eles”, fundamental para definir que os que não concordam com o petismo são todos inimigos do povo.
Agora, com o criminoso-chefe da maior quadrilha criminosa, que gerou o maior desvio de recursos públicos da história dos países ditos civilizados, preso em Curitiba, suas pretensões eleitorais se complicam um pouco. Não nos animemos muito porque sempre haverá causídicos e outros oportunistas a propor firulas jurídicas para libertar o criminoso-chefe. Essa gente é, sem dúvida, psicopata. Por isso é importante a reformulação do nosso sistema jurídico e da constituição federal que hoje é um agente facilitador da corrupção. Muitas autoridades e personalidades manifestaram um sentimento de tristeza pela prisão de um ex-presidente da república por corrupção e desvio de dinheiro público. Acho, ao contrário, que é uma alegria ver um psicopata ladrão ser afastado da sociedade. Assim é melhor para todos.