Negociação é a melhor opção para evitar processos longos.

Negociar é a melhor solução em qualquer situação. E, principalmente no assunto “loteamentos”, negociar é algo fundamental para que não se perca dinheiro e nem tempo. Quem entra com ação de depósito em juízo, deposita uma quantia que acha que é a correta sobre a negociação. A ação pode levar de dois a cinco anos ou até mais, caso siga para instâncias superiores. Perdendo a ação, como ocorre na maioria dos casos, o autor é obrigado a pagar as custas, o valor corrigido e ainda sofre com o tempo perdido.
Comparada a negociação direta com a imobiliária para quem já entrou com a ação, o tempo resgatado pode ocorrer em menos de dois meses. Comparado a um processo que demora anos, isso é uma matemática mais que favorável. Sobre a parte financeira, com a negociação se consegue evitar mais de 70% de gastos que haveria numa decisão final contrária ao autor, isto, sem contar, o risco da ordem de despejo.

Caminhos

O melhor caminho é conversar diretamente com as imobiliárias onde foram promovidas as compras dos imóveis. Sempre estão disponíveis a alguma negociação, principalmente se as parcelas estiverem em atraso, não havendo necessidade de entrar com ação na justiça.
Existem aqueles que preferem os “serviços” de oferecimento de assessorias jurídicas para “salvar” seus clientes. São empresas que aumentaram em Joinville e região. É claro que diante das dificuldades financeiras, muitas pessoas se “jogam” nestas promessas, sem ter a real ideia de onde estão se metendo.
É preciso verificar se tais empresas realmente têm condições de negociar. Existem várias regras que devem ser seguidas, então, é necessária muita atenção para tais casos.

Preocupação

E diante disto, novamente os bairros Vila Nova, Itinga e Jardim Edilene estão sendo “atacados” por telefonemas deste tipo de oferecimento, conforme revelou Lucas Cláudio, que mora no bairro Itinga. “Ligaram em casa e perguntaram se eu não queria renegociar o preço do meu terreno, e que estaria pagando demais e queriam que entrasse com uma ação”, destacou. Lucas também disse que até ofereceram para renegociar os atrasos, mas ele garantiu que diante das notícias que já leu, vai optar pelo contato direto com as imobiliárias. “Sei que teve o feirão para renegociar a dívida no Itinga, mas eu estava trabalhando. Porém, sei que a qualquer hora posso conversar”, analisou.