Em evento de divulgação do Projeto Estação Truck, a empresa TLBR – Terminais Logísticos Brasil, apresentou o projeto que será implementado em Garuva no objetivo de oferecer às transportadoras um Centro de Serviços e Conveniência. A cidade foi escolhida por sua localização geograficamente estratégica e o apoio oferecido pela Prefeitura de Garuva.

Finalidade
A Estação Truck têm a finalidade de organizar o fluxo de cargas destinadas ou provenientes do Porto de Itapoá, racionalizando o uso dos acessos portuários e minimizando o conflito porto-cidade. Atualmente a empresa realiza o atendimento de mais de 7 milhões de caminhões por ano, oferecendo mais de 16 mil vagas fixas de estacionamento e serviços de conveniência.

Vantagens
Segundo informações repassadas pela empresa TLBR, serão oferecidos cerca de 100 empregos diretos e ao final do empreendimento (que será dividido em três fases) 1.000 empregos indiretos. Os números expressivos impulsionarão o desenvolvimento econômico de nossa cidade, que contará também com a instalação de outras grandes empresas que se mantém em negociações com o executivo do município.

Ficar de olho
É bom ressaltar essa futura obra. O Governo do Estado por meio do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) publicou o edital de licitação para a conclusão da Estrada Rio do Morro. A via inicia no bairro Paranaguamirim, região Sul da cidade de Joinville, e termina na BR 280, em Araquari. A concorrência está orçada em R$ 9,1 milhões. As empresas têm até o dia 10 de maio para apresentar as propostas conforme publicação no Diário Oficial.

Pavimentação
Concluída em 75%, a rodovia possui sete quilômetros pavimentados. No trecho remanescente de 1,9 quilômetro será feita uma ponte, serviços de terraplanagem, sinalização, obras de arte corrente, como canaletas, bueiros, sarjetas e drenagem e pavimentação. Também é necessária a construção de uma passagem de nível sobre a ferrovia e um trevo no trecho de acesso a BR 280.

Nunca parar
Os serviços na via iniciaram em 2013 e foram paralisados em 2016 porque a empresa vencedora daquele edital de licitação pediu para rescindir o contrato. O Deinfra cancelou o contrato de R$ 15,9 milhões – sendo R$ 11,9 milhões executados – e reformulou o projeto para lançar a nova concorrência.