Beber vai encurtar sua vida, de acordo com 83 estudos realizados em 19 países e abrangendo 600.000 bebedores. Ficou demonstrado que que cada taça de vinho ou copo de cerveja acima do limite diário recomendado encurtará meia hora da vida esperada das pessoas de meia idade. Aqueles que pensavam que um copo de vinho tinto toda a noite iria ajudar a manter seu coração saudável irão se assustar. Estudos antigos, sem rigor estatístico e de evidencia realizados no passado , que diziam que beber vinho fazia bem ao coração, não tem validade. O estudo publicado na prestigiosa revista médica Lancet, diz que cinco taças padrão (175 ml) de vinho ou cinco copos (600 ml) de cervejas por semana é o limite superior seguro. O que dá cerca de 100 g de álcool .Mais do que isso aumenta-se o risco de acidente vascular cerebral (derrame), aneurisma fatal (uma ruptura da artéria no peito), insuficiência cardíaca e morte. Os riscos para uma pessoa de meia idade beber além do limite diário recomendado, são equiparados ao tabagismo. Acima de duas doses por dia, as taxas de morte aumentam constantemente, disse o professor David Spiegelhalter da Universidade de Cambridge. A conclusão dos estudos é de que uma pessoa na quinta década de vida, bebendo quantidade diária acima das orientações (como exemplo 2 taças de vinho por noite em média) tem aproximadamente dois anos a menos de expectativa de vida. Isso significa perder cerca de uma hora por dia. Tomar 3 taças de vinho (três dedinhos de altura) por dia em média, encurta a sua vida entre 4 a 5 anos. Quem bebe esta quantidade, perde anos de vida equivalente a um fumante. Este vasto estudo demonstra que o consumo de álcool não traz nenhum benefício para a saúde. O número de morte relacionadas ao álcool em pessoas de meia idade aumentou em 45 por cento nos últimos 15 anos. E entre 70 e 74 anos de idade , aumentou em 55 por cento. Os níveis de consumo recomendados neste estudo serão sem dúvida descritos como implausível e impraticável pela indústria de bebidas e outros adversários da saúde pública . No entanto as conclusões são atualmente inquestionáveis.As pesquisas recentes deixam claro que, no geral não há benefícios para a saúde no consumo de álcool. A mensagem deixada é que beber menos pode ajudá-lo a viver mais (mesmo com menor prazer), ao diminuir os riscos de desenvolver várias doenças graves.