Texto: Rodrigo Coelho, vereador de Joinville

Em 24 de fevereiro de 1928, nascia, na cidade de Piratuba, um dos políticos mais respeitados e adorados pelo povo joinvilense: Nilson Wilson Bender. Assim como milhares de catarinenses que moravam em regiões mais afastadas, ele também precisava caminhar 12 quilômetros por dia para cursar Contabilidade, em Caçador.
Mesmo diante das dificuldades, Seu Bender sabia da importância do conhecimento na vida das pessoas. Assim, na única oportunidade que teve como Prefeito eleito de Joinville (de 1966 a 1970), deixou um legado que beneficia até hoje os joinvilenses, em especial, na área da educação. Nilson Bender criou o Centro Educacional e Social do Itaum (CESITA), hoje Fundação Municipal Albano Schmidt (Fundamas), que desde o princípio é referência no ensino profissionalizante, preparando jovens e adultos para o mercado de trabalho. Visionário e sonhador que era, Bender articulou a vinda de professores alemães para Joinville. Durante dois anos, educadores daqui receberam treinamentos que garantiram o funcionamento do Cesita/Fundamas. Também foi ideia de Bender a criação da hoje extinta Fundação 25 de Julho, que possibilitou a profissionalização das atividades agropecuárias e o avanço na geração de renda de milhares de famílias do campo.
Como Prefeito, Bender também construiu o novo Hospital Municipal São José, o primeiro pronto-socorro de Joinville, implantou o programa de saneamento básico e a rede de água potável, idealizou o Museu do Sambaqui, a Estação Rodoviária, iniciou as obras da Casa da Cultura de Joinville.
Certamente, as experiências como contador, economista e advogado, bem como, a atuação por mais de três décadas na multinacional Tupy, contribuíram para uma vida dedicada à política e ao desenvolvimento de Joinville. Bender, que também elegeu-se Vereador em 1988 e 1992, sempre esteve à frente do seu tempo.
Nilson Bender faleceu no dia 12 de maio de 2013. Era um ser humano único, dócil, íntegro e inteligente. Uma pessoa humilde, que até poucos meses antes de falecer, optava por andar de ônibus. Será sempre lembrado pela personalidade ímpar e pelos indispensáveis suspensórios que usava. Sua história nos motiva a continuarmos em busca pela concretização de nossos sonhos e pelo desejo de sempre planejarmos o melhor para Joinville.