Belo espetáculo a abertura de gala da 18ª Bandoneon Fest, realizada sexta (18) na aristocrática Harmonia-Lyra.
Teve apresentação de um jovem grupo gaúcho formado por baixo, violão e um bandoneon. Os três rapazes, inevitavelmente, cantaram o nativismo gaúcho. Depois foi a vez do alemão Klaus Gutjahr, que é músico, arranjador e o mais notável fabricante do instrumento na atualidade. Ele transitou pelo folclore alemão, russo, pelo barroco francês e terminou rendido ao tango argentino.
O ponto alto do espetáculo foi proporcionado pelo grupo Argentino “Alma & Passion”, com peças imortais como Malena, Por uma Cabeza e Mi Buenos Aires Querido.
O futuro do Bandoneon mostrou-se assegurado com a abertura feita pelos alunos da Escola de Bandoneon idealizada pela família Trap, com apoio da Secretaria de Cultura do Município, regida por um emocionado Raulino Esbiteskoski. Em sua fala ele preencheu a falha da apresentação oficial e fez Justiça à Lyra.
A Bandoneon Fest foi a grande atração do domingo ensolarado na Sociedade Rio da Prata. Quem tem alma de ouvir e coração de sentir, estava por lá cantando, curtindo e dançando.
Esse instrumento, inventado em meados do século 19 pelo alemão Heinrich Band (por isso bandoneon) para uso religioso, veio com os imigrantes para a Argentina e incorporou-se à música dos países da região do pampa. Tem variados tons e não se concebe tango, milongas e chamamés sem a presença dos acordes que transitam da síncope passional ao lirismo.
Dar uma noite de gala a Bandoneon Fest é prestigiar um evento que entra em sua maioridade sem encontrar similar no mundo. E é magnífico que tenha sido na Lyra, que aos 160 anos, sob a presidência de Alvaro Cauduro, reassume sua condição genética de promover e difundir cultura em nossa sociedade.
A Lyra esteve lotada. Pessoas esperaram na fila na esperança de desistências, e quem ocupou um dos 500 lugares ganhou um espetáculo de classe internacional.
Há o que melhorar? Sim. O protocolo foi confuso e mal preparado. O Marcos, que responde pelo restaurante, ficou devendo garçons e atendimento à altura de nossa brilhante sociedade.