Pe. Leandro Brum Pinheiro, SDB

No último dia 19 de março, o Papa Francisco lançou sua nova Exortação Apostólica intitulada Gaudete et Exsultate (GE), na qual desenvolve o tema do chamado à santidade no mundo atual. Trata-se de um texto belíssimo e relevante no qual se retoma um tema que, com o passar dos anos, pode se diluir ou perder a sua essência… mas que continua sendo (e sempre o será!) a meta de todo cristão: a santidade.
No mês de Santo Antônio, gostaria de nessas linhas mais uma vez reforçar essa necessidade de reverenciarmos a vida dos nossos santos – especialmente a daquele escolhido para ser o nosso Padroeiro – como modelos credíveis do seguimento de Jesus.
O Papa Francisco, no primeiro capítulo da Exortação, afirma que os santos, que já chegaram à presença de Deus, mantêm conosco laços de amor e comunhão (GE, 4): é isso que fundamenta a nossa veneração e admiração por aqueles que são reconhecidos pela Igreja pelos sinais de heroicidade na prática das virtudes. Quantas coisas admiramos em Santo Antônio – sua dedicação aos mais pobres, seu esforço de evangelizar, seus discursos profundos plenos de uma comunhão íntima com Cristo.
O terceiro capítulo da Gaudete et Exsultate traz como referência o discurso de Jesus nas Bem-Aventuranças: entende-se aí que estas palavras do Senhor estão decididamente contracorrente ao que é habitual, àquilo que se faz na sociedade; e, embora esta mensagem de Jesus nos fascine, na realidade o mundo conduz-nos para outro estilo de vida (GE, 65). Renova-se, portanto, o convite de olharmos para santo Antônio como uma proposta que ainda nos questiona e inspira – mesmo depois de 787 anos!
A santidade não tem tempo… nunca se esgota. Palavras do papa Francisco: “O que quero recordar com esta Exortação é sobretudo a chamada à santidade que o Senhor faz a cada um de nós, a chamada que dirige também a ti: ‘sede santos, porque Eu sou santo’. O Concílio Vaticano II salientou vigorosamente: ‘munidos de tantos e tão grandes meios de salvação, todos os fiéis, seja qual for a sua condição ou estado, são chamados pelo Senhor à perfeição do Pai, cada um por seu caminho’. (GE, 10).
Queridos paroquianos e amigos do Centro Educacional Dom Bosco: vivamos a santidade a qual fomos chamados! Que nesse mês tão festivo para nós, possamos participar das festividades, da Trezena do nosso padroeiro, porém com os olhos fixos num modelo proposto, numa santidade possível e num caminho certo com Jesus! Santo Antônio interceda por cada um de nós, sobretudo na nossa fidelidade e constância em Cristo!