Após nove dias de greve dos caminhoneiros, mais algumas constatações podem ser pontuadas:
1.Michel Temer demonstra gigante incompetência e falta de caráter em toda essa situação. Quase dez dias, e ainda nem sinal de uma negociação decente. Nada além da brilhante ideia de jogar a conta em outro lugar pra baixar o diesel, e o povo ter que pagar de novo. Pediu às “forças de segurança” nacionais (o Exército) para agirem ao seu lado e conter a paralisação. Pediu também que governadores façam o mesmo, utilizando as “forças de segurança” estaduais (Polícia Militar). Até com multas ameaçou os caminhoneiros. Mas o Exército não pareceu muito interessado em apoiar Temer, nada até agora. Mesmo porque, o líder supremo do país deveria saber melhor que ninguém que protestar é um direito constitucional. E, além disso, independente de protestos, não há lei que obrigue alguém a trabalhar contra a própria vontade. Isso significa que os caminhoneiros podem fazer greve de trabalho por quanto tempo desejarem.
2.Apesar de todo o transtorno que vem causando ao país, a grande maioria do povo, como se vê nos protestos nas ruas, em conversas e nas redes sociais, apoia essa paralisação, que se faz pelos motivos certos.
3.O comerciante que tem se aproveitado do caos e da falta para aumentar absurdamente o preço dos produtos e explorar o resto da população, é tão corrupto e sem caráter quanto a corja política.
4.A Petrobras está quebrada, uma benfeitoria da última década e meia de governo PT. Mas existem outras soluções para este e outros problemas, basta caráter e justiça na hora de governar, coisa que os nossos governantes não têm. Diminuir o caminhão das contas públicas, extinguir os privilégios absurdos da classe política, o luxo, os interesses partidários acima dos da nação, e por aí vai. Medidas realmente benéficas e permanentes. Mas a verdade é que não importa o quanto está ruim para todo o povo, basta que estejam eles, congresso, câmara, empresários corruptos, partidos, nadando no dinheiro. Dinheiro roubado, suado e nosso! Mas mesmo as suas “preciosas” fortunas ilícitas se provam agora dependentes do trabalho sofrido desse povo menosprezado, maltratado e explorado, para ter algum valor. Irônico, não?