Dizem que a única certeza que temos na vida é que vamos morrer. O medo da morte é algo extremamente natural e compreensível. E não só o da própria morte, como o da morte de algum parente ou amigo querido. A primeira consiste em um mecanismo de defesa natural do ser humano, É o que impede de chegar muito perto da beirada de um penhasco, andar em um carro em alta velocidade, etc. A morte ainda é tratada como tabu para muitos. Não falamos sobre a morte, não discutimos seus efeitos e nem nos preparamos para ela. É que tememos o não existir.. O medo da morte tem que ser moderado, posto que este medo em excesso vira um caso patológico levando a uma permanente intranqüilidade. Não existe uma nova vida sem a morte de uma vida anterior. A morte é uma coisa boa, pelo menos para uma sociedade que aspira ser criativa. Quando corre-se contra o tempo, realiza-se mais. A gestão do medo acontece não apenas individualmente, mas coletivamente, através da nossa afiliação com sistemas sociais que nos definem, especialmente religião e família. A religião é a mais direta, porque muitas religiões evitam o medo da morte prometendo a vida eterna. As pessoas se apegam às pessoas e idéias que as confortam. Aqueles que tem uma crença em comum exibem menos ansiedade quando lembradas da morte. O risco de tal crença em comum é poder tornar as pessoas menos tolerantes aos demais. Isso explica porque temos religiões que prometem a vida eterna, mas apenas para os membros da fé. A grande maioria tem medo de não ter tido a vida como gostariam, e de não ter mais tempo para realizarem tudo que planejaram. Nestes casos, o medo da morte está mais atrelado ao medo da vida. Aprender a aceitar que a morte é algo natural ajuda a reconhecer que somos parte de um ciclo evolutivo. . Ninguém tem certeza do que acontece depois da morte, e esta incerteza pode causar angústia em algumas pessoas. Mas, não é porque não se sabe, que não é preciso acreditar em nada. Na verdade, não acreditar em vida pós morte, já é acreditar em alguma coisa , e assim poder moldar a sua vida neste sentido. Se para você a morte encerra o seu ciclo, e não existe nada “do lado de lá”, tornar a sua vida ainda mais significativa é extremamente importante, aproveitando todos os momentos que se pode. Gaste o tempo com as pessoas de que se gosta de estar por perto. Tenha atividades produtivas e positivas. O medo da morte é muitas vezes o medo de não viver de acordo com seus próprios princípios. Faça seus sonhos se tornarem realidade. Quanto mais abraçar a vida, menos assustado você ficará quando chegar a hora. Aprenda que a morte é natural. Se você está ocupado vivendo, não terá tempo de se preocupar com a morte. Então concentre-se em viver autenticamente e apaixonadamente ‘o agora’.