Quem olha o menino Vítor Braga com duas próteses nas duas pernas e com apenas parte das duas mãos já pensa que deve se tratar de um jovem triste, que sofreu algum acidente ou grave doença. Sim, de fato este adolescente de apenas 14 anos foi vítima da meningite meningocócica em dezembro de 2015. Conforme explica seu pai, Luciano Braga, a família estava na praia quando seu filho começou a sentir dores em todo o corpo. Depois veio a febre, sendo encaminhado para o PA de Ubatuba em São Francisco do Sul. Foi medicado, mas não melhorou. A garganta inflamada era sinal de que algo grave estava ocorrendo, sendo então encaminhado para o Hospital Dona Helena. Lá, uma médica descobriu a doença. Porém, já era tarde, mesmo com toda a atenção possível no Hospital Infantil de Joinville. As suas pernas e parte das mãos estavam necrosados. A amputação foi a única saída. Porém, como explicar isto para um jovem que estava começando a vida? Mas a família deu apoio, apoiou o filho numa situação difícil. Campanhas foram feitas para arrecadar recursos para a compra das próteses, com feijoadas, bingos, etc.

Será que esse menino teria alguma chance de se tornar um esportista. Pois um professor e amigo Vanderlei acreditou e aconselhou Vítor a praticar natação. O curioso é que ele nem aos menos sabia nadar, antes da doença. Mas aprendeu. Entrou para a equipe da Associação Paraolímpica de Joinville, além de contar com o apoio da Associação Casais Adoradores da Vida Nova. Começou a treinar no Clube Ginástico, através da professora Roberta Eberhard. Ela destacou que ele é um aluno aplicado e que os resultados foram surpreendentes. Foi para um torneio em Blumenau pela primeira vez e ganhou duas medalhas de prata, uma de ouro e uma de bronze. Era a natação de um grande campeão. Depois foi para São Paulo e também ganhou a medalha de ouro na sua categoria.

Agora, se prepara para o mês de julho, onde disputará um torneio dos Jogos Paraolímpicos Escolares em Florianópolis. Nosso campeão possivelmente se classificará para o Nacional em São Paulo, em novembro.

“Estou feliz por descobrir essa vocação em minha vida. Superei esse problema. Quero agradecer a todos que me ajudaram a superar as dificuldades e hoje, quero muito ser campeão por Joinville”, frisou.